Com Zeus

Não se Brinca

Do autor do best-seller Liberto da Religião

O livro que está arrebentando a boca do Balaão

Existe coisa mais absurda que ofender divindades? Como é possível insultar seres invisíveis cuja existência ninguém pode provar, figuras que evidentemente não passam de invenções de mentes primitivas? Enquanto nossas sondas espaciais vasculham os confins do Sistema Solar, em pleno século XXI pessoas ainda podem ser assassinadas por brincar com palavras como Deus, Javé, Jesus e Alá. Se isso não é prova de que religião é loucura, então não sei o que é.
Com Zeus Não se Brinca é uma coletânea de chistes e reflexões (vários dos quais aludem a fatos recentes) criados por mim, conhecido nas redes sociais como O Apóstolo da Razão, com o objetivo de, através do humor, levar seus leitores a refletir sobre o bizarro mundo da religião.
Paulo Bitencourt
Isto é o que os leitores de meu livro dizem sobre ele:
★★★★★ Humor Crítico de Excelente Qualidade
Por Juanico di Salvo | em 25 de março de 2017
Paulo Bitencourt nos brinda com uma corajosa e bem-humorada coletânea de observações breves e críticas sobre o monopólio do sagrado. Essa obra será polêmica por natureza. Espeta os defensores de verdades absolutas com suas falácias absolutamente infantis, governados pelo medo de pensar.
Leu Com Zeus Não se Brinca? Por favor, escreva uma análise.

“Eu, Paulo Bitencourt, sou obra de Deus, e Deus mandou vocês darem dinheiro para a obra de Deus.”

(Com Zeus Não se Brinca)
Compre o livro “Com Zeus Não se Brinca”, de Paulo Bitencourt
Adquira Com Zeus Não se Brinca por apenas R$ 9,90 diretamente de mim.
PS: Este e-book pode ser lido em qualquer aparelho e para comprar não é necessário ter conta na PayPal.
Já conhece meu outro livro Liberto da Religião?

Livre Pensamento

Do Brasil para o mundo

O que é o Livre Pensamento e por que é melhor ser um livre-pensador? A resposta está aqui.

O Apóstolo da Razão

Visite e laiqueie minha página no Facebook.

Mas quem, afinal, é esse tal de Paulo Bitencourt?

Paulo BitencourtNasci no Paraná, mas a infância passei no Rio de Janeiro. De família evangélica, quase me tornei pastor. Ao fim do quinto semestre de Faculdade de Teologia, em São Paulo, abandonei os estudos e fui viver no país de Wolfgang Amadeus Mozart, onde me formei em Canto Lírico. Minha esposa é natural de São Petersburgo, na Rússia, e nosso filho nasceu em Viena, capital da Áustria.
Mais sobre mim, na Wikipédia.